Projeto Marco ZERO

terça-feira, 24 de julho de 2012

Coragem

Até onde ir?
O que fazer com o medo de ir para o lugar errado?
Por que tanto medo de que as coisas mudem?
Por que querer tanto que as coisas mudem?

Parece que deixar rolar nunca foi uma opção
A necessidade de controlar tudo e todos
Como um polvo esticando todos os braços
Para ter tudo a mão

Motivos para ficar onde está há de sobra
Razões para se mexer faltam
Mas e este incomodo que sente
As pernas inquietas

As vezes corre em círculos
Para não precisar correr para frente
Outras vezes dorme
Para não ver passar o tempo

Não sabe para onde ir
Mas deveria?
Um mundo desconhecido o aguarda
E isso o deixa aterrorizado

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Corra humano corra



Se houvesse apenas um caminho certo nesta vida
Um único caminho
Todos os outros provariam que você é humano

Choros, sorrisos, feridas
Seriam apenas reflexos no espelho
Desta corrida contra o tempo

Um grito rasgaria o véu da consciência
Quem sou eu?
Quem é você?

Não escute o que estou dizendo agora
Corra, corra, corra da verdade
Você ainda está no caminho errado

domingo, 15 de julho de 2012

Sete chaves



Tantos anos a procura
Finalmente com todas as chaves na mão
Já não há mais portas para abrir
As paredes no chão
Batentes em cinzas
De que valeu tudo isso?

Perdido, sem rumo
Já não existem mais caminhos
Mas andar é preciso
Com os pés arrastados
O frio contraindo os braços

Silêncio, apenas silêncio
As lágrimas brilham ao luar
O choro para dentro
Aprendeu sempre a ser forte
Homens não choram

Sete chaves
Sete histórias
Sete passados
Duas pessoas
Três destinos
Um não se realizou