Projeto Marco ZERO

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Arriscar

Ouvi a seguinte frase hoje "não é errado tentar!". Sabe, está frase me tocou profundamente, e percebi que a pessoa que me disse isso, além de sua vasta experiência e sabedoria, percebia em meus olhos os meus demônios, assim enquanto ela me olhava ela na verdade estava encarando o monstro que me assombrava.

"Não é errado tentar!" ressoou como um sino que chama o povo à missa, bateu forte dentro de minha mente.

Assim, durante todo o caminho, de volta para a casa, esta frase foi me tomando, me acalmando, e me dando paz. Uma paz que há muito tempo eu não sinto, pois todos os dias meus medos martelam minha mente.

Então agora não me sinto mais culpado por arriscar, sabe, arriscamos sempre em nossa vida, muitas coisas. Arriscamos um emprego, arriscamos uma viagem, uma amizade, um namoro, uma balada, arriscamos nos abrir para alguém. As vezes acertamos, as vezes dá tudo certo. Outras vezes as coisas não dão tão certo assim, mas isso não significa que erramos, significa simplesmente que as coisas não deram certo. Essa é a parte boa de arriscar, não é um erro arriscar, arriscamos justamente para descobrir se irá dar certo, e as vezes não dá. Simplesmente.

Assim, sabendo disso, meus demônios, meus medos simplesmente somem no nevoeiro, pois não importa se dará certo ou errado, continuarei tentando, continuarei arriscando e sempre seguindo em frente, dando certo ou dando errado. Pois assim como o tempo, nunca vamos para trás, sempre para frente.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

A terceira perna

Finalmente terminei de ler o livro mais longo de minha vida... não, rs, não é a bíblia, e sim o livro Onze Minutos do Paulo Coelho... um livro extremamente interessante, mas que por algum motivo eu estava com muita preguia de ler. Felizmente dado ao meu desgaste mental eu não podia fazer mais nada a não ser ler. Era a única coisa que me restava.

As ultimas 90 páginas do livro que li hoje, junto com este desgaste mental causado por as vezes exceder as horas de trabalho e aliado a todas as mudanças pessoais pelas quais estou passando, me geraram uma luz, como se alguma coisa esclarecesse pontos em minha vida que eu ainda estava confuso.

Eu sempre acreditei que todo ser vivo era composto de matéria e energia, corpo e alma. Apenas isso corpo e alma. E, ao contrário de padres, monges, minha avó, dentre outras muitas pessoas, para mim o alimento da alma era o conhecimento. Então exercitando meu conhecimento eu alimentaria a alma. Mas hoje percebo como fui tolo.

Hoje vejo que os seres vivos são compostos de corpo, conhecimento e alma. E para se estar bem na vida é preciso balancear muito bem este triângulo. Então percebo que sou manco, pois embora eu compreenda Deus, eu não estou ligado à Ele hoje. E para a alma estar bem ela precisa estar ligada à fonte. E mesmo cuidando muito bem do meu conhecimento e mais ou menos (hehehe) do corpo, eles ainda sofrem pela minha deficiência com minha alma. E muitas vezes pagam um preço caro por isso.
Não, não vou virar um religioso fanático por pregação, não sou disso. Não quero converter todos à minha volta, acho que cada um tem o seu caminho a trilhar e sabe muito bem o que é certo e errado. Mas a partir de hoje começarei a investir tempo em minha alma, pois preciso que ela seja forte para que eu caminhe em paz, com serenidade e aceitando minha vida com mais harmonia.

domingo, 22 de novembro de 2009

Homenagem ao Tempo

Se existe um grande senhor que eu respeito este é o Tempo. O Tempo é singular e a nada se compara. Ele é poderoso e ao mesmo tempo que é bondoso, mas também é justo. Ele pode curar uma ferida, ou abri-la mais ainda. Mas o mais interessante é que Ele nos ouve e nos dá exatamente o que pedimos à Ele, mas temos que saber pedir primeiro.

O Tempo é absoluto, você só pode interagir com ele neste exato momento, pois tudo que passou já não é mais de nosso domínio e não pode ser mudado, e mesmo que você planeje o que há por vir, ainda assim você precisará da ajuda do Tempo para que dê tudo certo, pois se ele quiser que seja diferente, você não terá poder para mudar.

O Tempo é relativo, pois para uns ele passa muito rápido, já para outros demora a passar, tudo depende do que você está fazendo naquele exato momento. Voltando assim a dizer que tudo depende do agora.

Então por que falar do Tempo se apenas o Agora vale para nós? Porque o Tempo é o senhor das lembranças, e também é o senhor dos sonhos. Nós guardamos um pouco do Tempo em nossas memórias. E remexendo este pouco de Tempo de tempos em tempos, transformamos este Tempo em lembranças que se tornam saudades, se tornam sorrisos, lágrimas, conselhos, fofocas, etc.

E os sonhos vêem com o que podemos fazer com o Tempo em nosso futuro.

Enfim, o Tempo rege nossas vidas, pois a vida de todos tem um começo, meio e fim, independente se vivemos 5, 50 ou 100 anos.

Conselho de hoje após remexer minha caixinha do Tempo: dê tempo ao Tempo, pois ele sempre sabe o que é melhor para nós...

domingo, 1 de novembro de 2009

A alma foi corrompida pela mente



Um dia, a mente do ser humano, foi tão inocente quanto a mente de qualquer animal, assim a mente obedecia a alma, e todos os seus desejos.

Não consigo, e acho que ninguém consegue, identificar quando este quadro mudou, quando a mente se rebelou e deixou de escutar a alma, deixou de escutar o som do coração. Será que ela se sentia uma escrava na mão da alma? Seguindo sempre o seus sentidos, obecendo fielmente cada pedido, executando cada ação.

Alguém já viu o filme ou leu o livro A Bússola de Ouro, onde o homem e sua alma não são o mesmo ser, e sim duas entidades diferentes que compartilham experiências juntas. Assim a mente representada como o ser humano, perspicaz e inteligente, e a alma, representada por um animal, um simples animal.

Volto a me perguntar onde perdemos a linha, onde erramos? Como podem chamar todos que não são seres humanos de animais irracionais quando o homem é o único animal que destrói o meio ambiente em que vive? Isso é ser racional? Isso é ter conciência? Somos na verdade um raça patética de primatas que não precisará de nenhum predador para ser extinguido da face da terra, pois estamos a procura do nosso próprio fim. Assim que este corpo celeste suspenso no universo não viver mais, todos morreremos. E não bastasse que fizessemos o favor de sumir da face da terra, levaremos conosco tudo mais que ainda vive aqui.

Assim como na história de Philip Pullman, eu também vejo a alma e a mente como dois seres diferentes, vejo que só temos a ganhar quando a alma predomina, pois a mente é fraca, é corruptível, é mesquinha, e adoece facilmente.

Então eu vejo todos os outros seres vivos, com mentalidades simples, mas com espírito forte, determinados em uma única missão, viver. E até parece que a missão destes seres não é simplesmente viver, é viver mantendo o equilibrio da natureza, é viver superando obstáculos que mesmo o ser humano não conseguiria superar sem toda esta tecnologia que há hoje, pois não tem a alma forte como a destes seres que compartilham conosco esta terra.

Infelizmente vejo o ser humano como um animal fraco que não percebeu que seus atos precisam estar em harmonia com tudo à nossa volta. Mesmo tarde ainda acho que temos chance de entrar em harmonia com este mundo que vivemos, mas logo esta nossa tragetória inglória em busca de controle não terá mais retorno. Então estaremos fadados ao fim que nós mesmos procuramos.

SIM! Sou um ser humano e não me orgulho disso.