Projeto Marco ZERO

quinta-feira, 26 de março de 2009

Dicas de cozinha 1: apaixone-se por alguém engraçado e otimista...

Eu sei que na maioria das vezes não escolhemos por quem iremos nos apaixonar, por isso mesmo esta frase não funciona (Ref.: funfa) mas veja como faz sentido, deveriamos sempre gostar e ficar próximos à pessoas bem humoradas, divertidas, otimistas, alegres, festeiras e coisas assim, energia positiva gera energia positiva, boas vibrações fazem com que o ambiente vibre positivamente.

Mas o principal é como esta pessoa irá encarar os teus problemas e os problemas dela própria, sempre tentando ver o lado positivo das coisas, ou apenas dando os ombros para o choro, mas nunca te puxando para baixo em um buraco onde só existe dor.

A vida não é perfeita, e sei que temos altos e baixos, mas acho que todos estes momentos servem de lição e muitos devem ser encarados com muita reflexão.

Uma pessoa positiva vai aprender boas lições de tudo que passar, e vai te ajudar a aprender as lições quando quem estiver precisando de ajuda for você.

terça-feira, 24 de março de 2009

É duro mudar

Como é engraçado, um dia na vida, ainda criança, você descobre que irá amar uma mulher na vida e que vai ser com ela que você irá desejar passar o resto da sua vida.

Desde este dia, que foi exatamente o dia da sua primeira paixão, você se apaixonará repetidas vezes. Eu me apaixonei repetidas vezes, acho que nunca houve um grande período de tempo que eu não estivesse apaixonado por alguém, ou paquerando, flertando, sabe-se lá mais o que.

Então chegou um ponto da minha vida que percebi que já tinha me desviado do plano inicial, e que na verdade não existia plano inicial, e que foda-se o que eu achava que era certo ou errado, na verdade eu já não sabia de mais nada. Estava me apaixoando consecutivamente, sempre mantendo a euforia de se apaixonar em alta.

Logo percebi que eu estava trocando de amor como quem troca de roupa, sempre atrás desta sensação que é apaixonar-se. Mas deste jeito nada iria vingar, nada iria se firmar, mesmo eu me enganando todas as vezes que seria a vez certa. Mas nunca era, e nunca seria.

Então desta vez decidi mudar, decidi tomar um outro rumo, sair da rotina, deixar de lado estes enganos e desenganos, encontros e desencontros. Resolvi ficar só, sem um amor, sem uma paixão, sem este sentimento de euforia que torna a vida mais colorida, mas apenas dopa por um pequeno período de tempo.

Percebi que precisava me desintoxicar deste sentimento para que eu possa estar aberto realmente quando encontrar alguém, e saber que este alguém não irá me satisfazer por um período curto de tempo onde é excitante conhecer, desbravar, e amar loucamente. E, depois que tudo passar e a maré acalmar, eu não precisar sair explorando novas terras.

No começo realmente achei que seria fácil, se vocês já assistiram aquele filme "40 dias e 40 noites", saberão que em tese todas estas idéias são boas, mas no final a antiga rotina, a antiga necessidade, nos consome, e parece que o destino conspira contra nós.

Mas, no entanto, entre noites vagando pela Internet, trabalhando horas a mais que o normal para tentar preencher o tempo, e não pensar sobre isso, existem momentos de lucidez, como este, que ainda mostram que estou no caminho certo, e é quando meu coração respira com uma bufada bem forte, fecha os olhos e relaxa, dizendo para si mesmo que tudo ficará bem.

Boa noite a todos.

domingo, 22 de março de 2009

Reflexões de um domingo a noite...

Musica indicada para hoje: Boom - How Do You Do

Gosto de filmes, meus preferidos são comédias românticas ou aqueles romances babacas adolescentes, coisas assim, é um gosto que já nem tento mais lutar contra ele, eu gosto e ponto. Talvez estes filmes ajudaram a formar o que eu almejo para um relacionamento, mas com certeza tenho consciência que a vida não é assim, temos que lutar por nossos amores, procura-los até achar alguém que combine conosco.

Meus relacionamentos sempre começam bem, e eu tenho certeza que é aquilo que eu quero, mas parece que sempre me engano, me engano como as pessoas são, me engano como eu sou, confundo "gostar das mesmas coisas" com amor, confundo amizade com amor. Já ouvi dizer que me precipito com essas coisas, e todos tem razão, minha necessidade em necessitar de alguém, de dizer que gosto de alguém, de viver uma paixão é muito grande, pois não quero apenas "ficadas" ao longo da noite, isso não me basta. Por isso mesmo quando vou para uma balada sou aquele que vai para curtir a noite, dançar, tomar umas e dar risadas. Não sou igual aqueles caçadores que procuram números de bocas beijadas como recorde. Posso até ser quadrado pensando assim, mas quer saber: foda-se. Realmente não estou nem aí.

Nestas andanças já namorei garotas que frequentavam os mesmos círculos que eu, já namorei garotas que me achavam engraçado, já namorei garotas que me paqueravam a tempos, até namorei meninas a distancias consideráveis. Cada uma foi uma carga grande experiência, e posso dizer com toda certeza, que a maior parte de todas estas experiências, com cada uma, foi boa, boa mesmo! Todas foram garotas incríveis e maravilhosas, infelizmente não deram certo, mas assim é a vida, vamos procurando até encontrar.

Além das meninas que eu namorei, ou fiquei, houveram algumas meninas por quem me apaixonei, e cada paixão rejeitada machucou, e estas feridas me ensinaram a me expor cada vez menos. Há quem diga para mim que isto é ruim, e talvez estejam certos. Mas como falam que gato escaldado tem medo de água fria: Meauuu!!!

No final toda esta reflexão não tem conclusão, eu quero alguém para eu dizer que preciso dela, e quero realmente precisar dela e gostaria que ela estivesse aqui para mim. [risos] Mas isto é o que todos querem, não é!?

quinta-feira, 19 de março de 2009

Apenas um "adeus"

Não escuto as vozes das pessoas que estão a minha volta, todas estão tão distante. Não enxergo seus rostos, somente vejo vultos. Não sinto o toque quando passam e esbarram em mim. Não sinto mais o gosto da minha comida preferida. Não sinto mais o doce perfume dos lírios.

Eu estou aqui neste fundo branco, e através de todas estas sombras posso enxergar você.

Mas não adianta o quanto eu corra, corra, corra... eu não te alcanço, não há o que fazer.

Eu não posso dizer adeus, então diga por mim, por favor.

Eu quero ser o protagonista da minha vida e deixar de ser o espectador da tua.

Existe um vulcão dentro de mim, adormecido. E já estou pronto para coloca-lo em atividade, quero uma vida grande, quero voar acima do céu, quero que os sonhos sejam meu limite, quero voar para onde eu sonhar.

A esperança já se tornou agonia, a espera já se tornou desespero, e viver assim não era o que eu esperava de nós. Estou dando as costas à você, deixando o seu mundo pela estrada árida, e seguindo para o meu.

Preciso cuidar do meu jardim, limpar a casa, varrer a sujeira para fora, organizar tudo, hoje é dia de festa. Hoje é o dia que voltei a viver minha vida, e isto merece comemoração.

Agora posso curtir o silencio, posso dançar ao luar, posso ficar sozinho sem medo de estar só. Lembro de você como uma miragem, algo que não foi real, embora tenha sido lindo.

Quero viver aberto à todas oportunidades que existirem, abro os braços para o horizonte, e digo "sim" à vida.

quarta-feira, 18 de março de 2009

Dicas de cozinha

Há algum tempo postei no meu MSN uma série de pequenas dicas inúteis chamada "Dicas de cozinha".
Essa idéia surgiu de algo que convivo desde meu nascimento, a cozinha. Em minha família cozinha sempre foi lugar de conversa, papos sérios, papos furados, conversas jogadas foras, besteiras de gente alegre, histórias do meu avô e avó, conselhos, e causos dos mais engraçados.
Então, agora já depois dos 20 e poucos, tenho amigos (os cavalos) que nos reunimos para vários eventos, o mais marcado no ano é a sexta-feira santa, onde nos reunimos para fazer o almoço, e as conversas, histórias e zueiras continuam.
Espero que a cozinha seja sempre um marco em minha vida, pois me tras muitas boas lembranças.

Voltando ao Dicas de cozinha, a idéia e registra um pouco daqueles conselhos que são dados em conversas de cozinha, sem muita funcionalidade, mas que chegam a fazer algum sentido.

Na época cheguei a postar 4 dicas, mas depois fui deixando, deixando, e acabei parando, vou colocar aqui as 4 dias e nos próximos dias vou comentando uma por uma.

Dicas de cozinha 1: apaixone-se por alguém engraçado e otimista...
Dicas de cozinha 2: antes de se apaixonar, tome uma garrafa de um bom vinho...
Dicas de cozinha 3: apaixone-se por alguém fora do seu dia-a-dia, para que a paixão não se torne rotina...
Dicas de cozinha 4: a regra do 3 só é válida na faculdade, antes disso é ridículo, depois disso é desnecessário...

Abraços

terça-feira, 17 de março de 2009

A partir de uma mente alheia

Hoje me coloquei a conhecer a mente de pessoas anônimas, e não existe melhor lugar que os milhares de blogs existentes na Internet, por coincidência acabei caindo em blogs que falavam sobre paixão. mas não eram histórias felizes, e então separei as seguintes frases de um blog:

"Percebo que há algum tempo venho me apaixonando por caras que não se apaixonariam por mim."

"Não é porque uma pessoa te decepcionou que o AMOR é decepcionante!"

blog: Hold Her Heart
post em questão: Amor bem grande

e percebo como se apaixonar é difícil, porque a partir do instante que você se apaixona um milhão de duvidas surgem instantaneamente em sua mente, ou pelo menos na minha mente:

"será que ela me viu?"
"será que ela gosta de mim?"
"será que ela vai gostar de mim?"
"devo ir falar com ela?"
"devo me abrir a ela?"
"será que ela já gosta de alguém?"
"será que ela ama alguém?"
"e se ela me rejeitar?"
"e se ela me achar um babaca?"

Logo a insegurança toma conta dos pensamentos. Isso é normal! Todos temos medo de arriscar um "bom dia", arriscar um "qual seu nome?", arriscar um "quer sair tomar algo comigo?".

Ainda, quando nos apaixonamos por pessoas conhecidas ficamos tentando disfarçar os olhares, tentando não dar na cara, mas sempre damos, e sempre alguém vai chegar até você e revelar que você já está demonstrando bastante.

No final os sem coragem acabam sofrendo sozinho e tentando abafar aquilo que os consomem, e os mais desprendidos vão à luta, e, com ou sem estratégia, alguns chegam a conquistar o coração alvo, outros encontram só decepção.

Mas percebo que muitas vezes nossa paixão não é o problema, as vezes por quem nos apaixonamos é o problema, pois acabamos nos apaixonando por pessoas que já estão apaixonadas por outras pessoas, ou que não conseguem esquecer alguém que já não está mais na vida dela.

Podemos tentar conquistar uma pessoa que espera uma paixão, mas é difícil quebrar a barreira de alguém que está em uma maré e não quer sair dela, mesmo sabendo que está só a margem da situação.

Se todos que não foram correspondidos ou que foram deixados para trás estivessem abertos à novas paixões, ao invés de persistir nos mesmos erros, acabariam dando brechas à pessoas mais interessantes que existem neste vida, às pessoas que estão disposta à apaixonar-se sempre que existir a possibilidade, que não tem medo de levantar, após cada queda, e se apaixonar de novo.